segunda-feira, 9 de abril de 2012

A Besta Interior: O Princípio Instintivo Renegado

"Who is like the beast and who can fight against the beast?"
 The Beast Within, Madonna


Detalhe de capa do single
"The Beast Within", Madonna

O homem é composto por vários princípios ou corpos ou inteligências que são exaustivamente citados nas mais diversas literaturas ocultistas e religiosas. Sempre há divergências quanto a estes princípios, tanto em números quanto em qualidade mas, o que a maioria possui em comum é renegar ou relegar às sombras - meio que literalmente - o princípio mais básico do homem: seu corpo instintivo.
Nosso corpo instintivo - a Besta Interior - é de uma qualidade diferente da mente e análise racional, do coração e sua análise emocional e do daimon e sua análise do Destino, vocação e verdade do ser. Todos estes princípios são ligados a inteligência racional, a inteligência emocional e a sabedoria respectivamente. 
Mas nesta equação básica faltou o instinto - a inteligência material. Nossa Besta 
Interior é quem nos dá esta inteligência material, ela é a inteligência de nosso corpo e ela quem comanda nossos instintos básicos. Ela comanda nosso sexo e determina a maneira que vamos lidar com esta energia - sim ela é responsável pela nossa sexualidade! Ela é responsável pela vida e pela morte, pela regulação da população de uma espécie e de um grupo. É ela, a Besta Interior que move os atletas. Quando um jogador de futebol está para fazer um passe e fazer um gol, quem o excita? A Besta Interior. Quando andamos pela rua quem é responsável por não trombarmos uns nos outros numa calçada movimentada? Ela. Quando conhecemos alguém, podemos o considerar inteligente, bonito e ético aos nosso padrões, seria a pessoa perfeita mas algo, algo simplesmente não se identifica - popularmente dizem que não "rolou química", mas o que querem dizer é que as bestas interiores se repeliram.
A Besta Interior reencarna conosco e continua conosco até quando não estivermos em nossos casacos de pele. Ela nasce como a alma e morre quando a alma se funde novamente na Anima Mater.
Como um princípio tão importante no homem pode ser tão negligenciado? E ela é. A Besta é engaiolada assim como pensamentos e sentimentos que consideramos - pelo poder da sociedade, cultura e religião - proibidos, vergonhosos, imorais. E a Besta engaiolada manifesta sua rebeldia lutando para ser liberta e daí nasce o preconceito, a intolerância e todo tipo de violência que a negação causa - mecanismos de reação bem estudados pela psicologia junguiana.
Não prenda sua Besta Interior. Ela é livre como um cavalo selvagem. Você nunca conseguirá botar-lhe uma sela. Não seja-lhe um senhor – tampouco seja-lhe um vassalo. Sejam ambos o Todo que verdadeiramente o são.


0 comentários:

Postar um comentário