sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Exortação ao Filho da Noite

"Mas tú também é uma criatura da noite como nós
 E mesmo assim renega a teus irmãos 
Ouça, eles estão clamando dentro de ti 
Teus antepassados gritam pelas correntezas de teu sangue 
A noite chama pelo teu nome 
A Dama do Sabat te espera com coroas de jasmim 
E o veludo aroma das avelãs perfuma o Seu hálito 
Há Segredos e Mistérios que não devem ser temidos 
E sim vivenciados em toda sua itensidade. 
Teu legado te perseguirá para onde fores 
E nunca escaparás daquilo que és 
Pois pertence à uma raça antiga 
De anjos caídos feito homem 
Venha e reclame teu lugar no banquete dos excomungados 
Dance sem a vergonha de tua nudez 
Ame sem medo das feridas de teu coração 
Sejas apenas mais uma folha caída, 
Que o vento carrega para a imensidão."


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Da Originalidade do Ser

Ser ou Não Ser, Anna Chromy

Por mais que mudamos, algo sempre permanece o mesmo. Há uma parte de nós imutável e incorruptível, uma natureza íntima e primeira. 
A Língua Portuguesa é uma língua fascinante, pois possui dois verbos distintos para duas condições da existência humana: ser e estar. A maior parte daquilo que compõem o que aparentamos ser é transitório, um estado superficial, um estado de estar. Estar significa que naquele momento, sob determinadas condições, nos manifestamos de determinada maneira. A parte mais obscura, renegada e completa de significado daquilo que compõem que aparentamos ser é o que somos de fato. Ser significa que em qualquer momento, sob qualquer condição, nos manifestaremos de uma maneira específica ou por qualquer variação que dela ocorra. 
O sentido da vida só se torna um mistério desvendável para nos enquanto humanos, quando analisamos o que realmente somos e agimos de acordo pois a partir deste momento experienciaremos sensações relevantes para a alma. Conheça-te a ti mesmo é conhecermos a nossa própria alma e imprimir sua essência em tudo aquilo que fazemos. É estar de acordo com as tramas do Destino para um futuro mais rico e completo em experiências como menos sofrimento. É construir nossos valores e vivermos de acordo com um código moral idiossincrático. É a verdadeira "volta para casa" pois é a volta para si mesmo.
Quando agimos de acordo com o estado original de ser de nossa alma tudo o que façamos flui naturalmente em direção ao desenvolvimento desta, há uma aura de convicção em torno de nós, um tom convincente em nossas vozes, já não há crenças e palpites e sim certezas, já não há verdades a serem defendidas com unhas e dentes e sim experiências e conhecimento.

... Depois de tudo isso fica o desafio para você confrontar a si mesmo: você aparenta ser o que é ou o é de fato? Ser ou parecer ser bruxo - eis a grande questão.