sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Manifesto Teológico Niilista de Um Bruxo Agnóstico


Não creio em deuses com nomes e formas. Não creio em criações humanas. Cascas astrais. Deuses mortos de civilizações mortas. Não creio nestes deuses imaginados, forjados para sustentar poderes políticos, militares, religiosos. Não creio nestes deuses que punem a seu bel-prazer, que carregam consigo todas as vaidades, os defeitos e os vícios humanos. Não creio em deuses-reflexos da podridão social. Não creio em deuses feitos a imagem e semelhança humana.
Mas não sou ateu. Creio, acima de tudo, em deuses que são a Lei, a Ordem e o Equilíbrio dos Mundos. Manifestam-se em todas as coisas e por todas as coisas são manifestados. São as essências de todas as coisas, mas as transcendem. Embora se manifestam em todas as coisas a Todo é maior que a soma das Partes.
Creio nestes Espíritos Antigos sem nomes, sem faces. Feitos a imagem e semelhança de si mesmos.

Um comentário: