segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Lâminas do Destino

Diário de Um Bruxo Solitário

"So I guess the fortune teller's right
I should have seen just what was there
And not some Holy light"
Torn, Natalia Imbruglia


Como eu queria que desta vez ele estivesse errado. Eu sinceramente desejei que ele tivesse errado. Mas ele nunca está errado Pelos deuses, ele sempre está certo. Tarot é o seu nome.
Ele não é culpado, nós é que vamos até ele na esperança que ele trará conforto para nossas misérias. Na esperança que ele diga  que o amor irá bater em nossas portas juntamente com a sorte. Na esperança que ele nos diga que estamos cercados de irmãos e irmãs que nos querem tão bem. Quanta ilusão. 
Ele não diz o que queremos ouvir, embora, muitas vezes em nossa cegueira, dor ou desespero, forjamos ler o que não está lá. 
Penso ser tão apropriado o termo lâmina: ele contém setenta e oito lâminas que rasgam o véu da ilusão.
Ele é apenas um espelho, àguas que refletem nossas almas. Elas podem estar tão limpidas como o de um lago no meio de um bosque primaveril ou tão turvas como um rio cheio de dejetos.

0 comentários:

Postar um comentário