segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O Avesso da Realidade

Tratados de Espiritualidade Caótica

Os vivos querem morrer, pois não suportam tanto sofrimento. Os mortos querem reencarnar, pois não suportam tanto sofrimento.
Este aforismo ou algo parecido fora lido por mim certa vez num livro budista que infelizmente eu não lembro mais o nome e encerra em si um desafio muito interessante para examinarmos nossas crenças e derrubarmos idéias errôneas amplamente acreditadas pela dita espiritualidade contemporânea. Fomos acostumados a crer que, aos moldes das filosofias orientais, gnósticas e kardecistas, que este mundo (material) é uma ilusão, uma prisão e um mundo de expiações, um sufrágio para o espírito e para a alma. Que a morte é a libertação desta densidade opressora. Que quando sonhamos estamos libertos.
E se eu te disser que é exatamente o contrário? E se tudo o que acreditamos até hoje estiver equivocado?
Comece pelos seus sonhos, os sentimentos que experimentamos neles não são as vezes muito mais intensos do que aqueles que experimentamos em estado de vigília? Isto acontece porque nosso corpo físico não é sensível emocionalmente, ele é apenas sensível em nível físico (como calor, umidade, frio, aridez, etc), emoções são sentidas pelo corpo astral ou emocional e é deste corpo que o nosso Eu fica quase que totalmente consciente durante o sono. Quando dormíamos então despertamos para a realidade e quando abrimos nossos olhos pela manhã, então o sonho começa.
Continuando com este pensamento, a vida material que sempre foi tida como castigo e sofrimento e a vida espiritual (por falta de uma classificação melhor) que sempre foi tida como libertação perde seu sentido. É comum ouvirmos das pessoas que fulano morreu e foi "descansar". Infelizmente isso pode não ser verdade. Existe no mundo espiritual, assim como no material, muitas regiões diferentes que, por afinidade e vibração, atraem grupos diferentes de espíritos. É no que o espírito acredita que vai moldar sua realidade. O espírito, entendido aqui como manifestação não-material da alma, possui poderes inescrutáveis e, livre da densidade da matéria, todas as suas visões, crenças, esperanças, temores e sentimentos imediatamente se tornam palpável no mundo espiritual. Além disso, lembranças de todas as vidas regressas voltam a ficar consciente num turbilhão de acontecimentos por vezes insuportável àquele espírito. A volta ao mundo material então, é uma benção e um alívio. A reencarnação é um descanso para a alma e não a morte.
Que todos possam olhar para a vida material com outros olhos.

3 comentários:

  1. Nion que texto maravilhoso; muito apropriado para este dia de 'Bruxas...Almas...Espectros...'

    ResponderExcluir
  2. Pois então, sabe que nem tinha percebido que o assunto do post trás consigo esta egrégora. Definitivamente não há coincidências.
    Obrigado pela visita.

    ResponderExcluir
  3. Você criou um link interessante afirmando que o sonho da alma é o dia-dia do homem mortal no plano material, e o sonho dele é a vida da alma. Bela sacada Nion.
    Realmente para nós, a alma não descansa em sua vida, quando mais na morte do corpo físico.

    ResponderExcluir