terça-feira, 19 de julho de 2011

Diário de Um Bruxo Solitário: Luna Anima, Cântico de Poder

Protegido pelo silêncio da noite e iluminado pela Lua sob o Véu das Estrelas, deixei meu corpo livre  movendo-se a seu gosto , enquanto minhas mãos teciam algo invisível no ar e meus lábios cantava em êxtase:


Eleve-me, eleve-me
Quero ouvir sua alma
Mestra natureza, Senhora Luna
Que nossas almas tornem-se una.

Eleve-me, eleve-me
Quero ouvir sua alma
Luz das estrelas, Senhora Luna
Que nossas almas tornem-se una

Eleve-me, eleve-me
Quero ouvir sua alma
Espírito da roseira [1], Senhora Luna
Que nossas almas tornem-se una"


_____________
[1] referi-me ao espírito da roseira pois este cântico fora criado espontaneamente quando estava perto de minha roseira e senti que devia invocar seu espírito para minha comunhão. Aquele que for usar este cântico pode e deve substituir este verso por um mais apropriado a suas circunstâncias.

0 comentários:

Postar um comentário