segunda-feira, 9 de maio de 2011

Das Três Faces de Uma Bruxa

O que é uma Bruxa? Existe aquele velho ditado de que se perguntarmos isso a dez Bruxas  teríamos pelo menos onze definições diferentes. Ademais, definir uma Bruxa é uma tarefa deveras complexa pela própria natureza igualmente complexa do arquétipo da mesma.

A maneira mais fácil de definir uma Bruxa é examinar o que poderíamos chamar de as “três faces de uma bruxa”, fazendo a construção da definição com base em outros arquétipos já conhecidos. Mas peço ao leitor que esqueça os significados vulgares dos mesmos abaixo mencionados para conseguir compreender melhor estas três faces:

Uma Bruxa parece ser uma mistura de xamã e feiticeira com ares de sacerdotisa.

Como xamã ela é aquela que caminha por entre os mundos, tecendo canções de realidades, uma sonhadora desperta que retira da natureza seus ensinamentos e seu poder. Ela é aquela que cura, que conhece os segredos das ervas. Ela reconhece sua alma animal, então chama os outros filhod da Terra de irmãos. Ela cruza as fronteiras dos mundos conhecidos em busca de Sabedoria. Uma caminhante que é ao mesmo tempo o próprio caminho. Aquela que caminha pelo Mundo Inferior, o mundo dos espíritos, dos instintos. A chave deste domínio é a Necessidade. Ela é una com a Terra e como os seus seres. Ela escuta a voz da Vida.

Como sacerdotisa ela é uma serva dos poderes que invoca, não no sentido de servidão, de escrava; mas no sentido de servir, de co-criar a realidade juntamente com os deuses, de ser uma centelha divina em corpo e alma humana. Ela é aquela que ouve, que recebe o Oráculo. Ela cruza as fronteiras do mundos mundanos em busca de Conhecimento. Uma mensageira que é ao mesmo tempo a própria mensagem. Aquela que caminha pelo Mundo Superior, o mundo dos deuses, da Energia. A chave deste domínio é a Vontade. Ela é una com o Céu e com os seus seres. Ela escuta a voz dos Deuses.

Como feiticeira ela é aquela que muda a realidade, que conhece os segredos dos homens, seus medos, suas paixões. Aquela que conhece o poder dos sortilégios, dos encantamentos, dos símbolos, do prazer e da sedução. Ela é aquela que constrói seu próprio destino, que possui o poder da transformação. A que prepara as poções que trazem amor e fortuna. Ela cruza as fronterias dos reinos proíbidos em busca de Poder. Aquela que tece e é ao mesmo tempo o próprio tecido. Aquela que caminha pelo Mundo Médio, o mundo das emoções e dos sentimentos. A chave deste domínio é o Desejo. Ela é una com o Mar e com os seus seres. Ela escuta a voz da Magia.

Quando os três conceitos estão unidos e trançados num mesmo caminho de forma homogênea, cria-se um novo caminho que, por sinergia, é diferente da simples soma dos outros três, um Caminho-Sem-Nome. Bruxas então são aquelas que enveredam por este caminho inominável.

0 comentários:

Postar um comentário