terça-feira, 31 de maio de 2011

Oração ao Deus Desconhecido


"Antes de prosseguir em meu caminho e lançar o meu olhar para frente uma vez mais, elevo, só, minhas mãos a Ti na direção de quem eu fujo.

A Ti, das profundezas de meu coração, tenho dedicado altares festivos para que, em cada momento, Tua voz me pudesse chamar.

Sobre esses altares estão gravadas em fogo estas palavras: "Ao Deus desconhecido”.

Seu, sou eu, embora até o presente tenha me associado aos sacrílegos.

Seu, sou eu, não obstante os laços que me puxam para o abismo.

Mesmo querendo fugir, sinto-me forçado a servi-Lo.

Eu quero Te conhecer, Desconhecido.

Tu, que me penetras a alma e, qual turbilhão, invades a minha vida.

Tu, o incompreensível, mas meu semelhante, quero Te conhecer, quero servir só a Ti."

Friedrich Nietzsche
Tradução de Leonardo Boff

Podemos notar aqui uma profunda e clara distinção entre religiosidade e espiritualidade. Vejo Nietzsche, ateu ferrenho e denunciante das "ilusões metafísicas e religiosas", como um grande espiritualista; pois buscou e vivenciou os mistérios profundos do seu ser e da Vida de uma maneira realista e investigativa sem se render a fórmulas religiosas prontas e plásticas, mas o fez partir de sua própria alma. Entretanto para muitos, este homem não passa de um pobre ateu ou um contraditório filosófo.

+ Leia mais comentários sobre a oração acima aqui
+ Leia mais pensamentos de Nietzsche aqui

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Oração à Bastet para Exorcismo e Proteção


"Amada Bastet, 
Senhora da alegria e da generosidade, 
gêmea do Deus Sol, 
mate o mal que aflige nossas mentes
assim como tu mataste a serpente Apep. 
Com tua graciosa discrição, 
antecipe aos movimentos
de todos aqueles que perpetram crueldades
e que fiquem suas mãos
diante da Criança da Luz."


segunda-feira, 9 de maio de 2011

Das Três Faces de Uma Bruxa

O que é uma Bruxa? Existe aquele velho ditado de que se perguntarmos isso a dez Bruxas  teríamos pelo menos onze definições diferentes. Ademais, definir uma Bruxa é uma tarefa deveras complexa pela própria natureza igualmente complexa do arquétipo da mesma.

A maneira mais fácil de definir uma Bruxa é examinar o que poderíamos chamar de as “três faces de uma bruxa”, fazendo a construção da definição com base em outros arquétipos já conhecidos. Mas peço ao leitor que esqueça os significados vulgares dos mesmos abaixo mencionados para conseguir compreender melhor estas três faces:

Uma Bruxa parece ser uma mistura de xamã e feiticeira com ares de sacerdotisa.

Como xamã ela é aquela que caminha por entre os mundos, tecendo canções de realidades, uma sonhadora desperta que retira da natureza seus ensinamentos e seu poder. Ela é aquela que cura, que conhece os segredos das ervas. Ela reconhece sua alma animal, então chama os outros filhod da Terra de irmãos. Ela cruza as fronteiras dos mundos conhecidos em busca de Sabedoria. Uma caminhante que é ao mesmo tempo o próprio caminho. Aquela que caminha pelo Mundo Inferior, o mundo dos espíritos, dos instintos. A chave deste domínio é a Necessidade. Ela é una com a Terra e como os seus seres. Ela escuta a voz da Vida.

Como sacerdotisa ela é uma serva dos poderes que invoca, não no sentido de servidão, de escrava; mas no sentido de servir, de co-criar a realidade juntamente com os deuses, de ser uma centelha divina em corpo e alma humana. Ela é aquela que ouve, que recebe o Oráculo. Ela cruza as fronteiras do mundos mundanos em busca de Conhecimento. Uma mensageira que é ao mesmo tempo a própria mensagem. Aquela que caminha pelo Mundo Superior, o mundo dos deuses, da Energia. A chave deste domínio é a Vontade. Ela é una com o Céu e com os seus seres. Ela escuta a voz dos Deuses.

Como feiticeira ela é aquela que muda a realidade, que conhece os segredos dos homens, seus medos, suas paixões. Aquela que conhece o poder dos sortilégios, dos encantamentos, dos símbolos, do prazer e da sedução. Ela é aquela que constrói seu próprio destino, que possui o poder da transformação. A que prepara as poções que trazem amor e fortuna. Ela cruza as fronterias dos reinos proíbidos em busca de Poder. Aquela que tece e é ao mesmo tempo o próprio tecido. Aquela que caminha pelo Mundo Médio, o mundo das emoções e dos sentimentos. A chave deste domínio é o Desejo. Ela é una com o Mar e com os seus seres. Ela escuta a voz da Magia.

Quando os três conceitos estão unidos e trançados num mesmo caminho de forma homogênea, cria-se um novo caminho que, por sinergia, é diferente da simples soma dos outros três, um Caminho-Sem-Nome. Bruxas então são aquelas que enveredam por este caminho inominável.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Buraco Negro: Técnica Avançada de Banimento

Esta é uma das técnicas mais eficazes e poderosas que eu já utilizei para banir espíritos malfazejos de um local.
O Rito tem por propósito distorcer o espaço astral criando uma "fenda", um "buraco negro" que sugará os seres os quais o bruxo queira afastar. Pela minha experiência, ele bane os tipos de criaturas que o bruxo mentalizar/programar na hora da criação, levando-os para outros planos de existências de acordo suas vibrações. 
Os pré-requisitos para a execução desta técnica é possuir habilidades básicas de manipulação energética e Visualização criativa; os efeitos-colaterais podem ser letargia e tontura uma vez que uma grande quantidade de energia é gasto durante sua execução.
Embora a técnica em si possa ser utilizada solitariamente, eu a recomendo aliada a uma magia simples de purificação e banimento para melhores resultados.




Centre-se e prepare-se para o rito como de costume. Comece acendendo um incenso ou ramos de ervas com propriedades purificadoras como a lavanda. Circule pelo ambiente no sentido widdershins entoando encantamentos ou cânticos de purificação e banimentos ou vocalize ordens para que os seres indesejáveis deixem o local. Continue como o movimento circular até sentir que a energia foi elevada/acumulada o suficiente. Após elevar o poder, deixe o incenso ou as ervas terminarem de queimar em local apropriado e feche os olhos. Erga suas mãos para acima de sua cabeça e comece a movimentá-las em círculos como se você estivesse distorcendo o espaço acima de sua cabeça. Este movimento aliada a sua intenção mágica criará uma distorção energética, uma "anomalia" no espaço que através de sua visualização criativa ganhará a forma de um micro buraco negro. Veja o buraco negro tomando forma e sinta todo o poder de seu magnetismo. Após ele ter se solidificado, fique com as mãos paradas ainda acima da cabeça como que o sustendo e o mentalize-o atraindo todos os seres que você não deseja que fique no lugar e continue com a visualização até sentir que todos partiram. Neste momento, você poderá sentir desequilíbrio energético tanto pelo dispêndio de energia quanto por eventuais ataques astrais por parte dos espíritos que você deseja banir. Sua Vontade mágica deve ser forte o suficiente, pois será ela a principal fonte de poder de atração do buraco negro.
Quando sentir que o processo terminou, movimente os braços como se você estivesse comprimindo e diminuindo a distorção que você havia criado para fechar a "fenda". O rito está terminado. Aterre sua energia e ingira algum alimento para reposição de sua energia vital.