domingo, 17 de abril de 2011

O Fruto Proibido

"Coma do Fruto Proibido
  E haveis de ser como Deuses!
Coma e haveis de ser Sábio

Disse a serpente à Virgem

Disse a Virgem ao Homem,
Disse o Homem a Seu Filho,
Disse o Filho a Sua Esposa...

E então disseram Eles,
de geração em geração,
até que todos seus Parentes soubessem o Segredo.

E então, Amado, devo dizer- vos:
Coma e haveis de ser Sábio."

One: The Grimoire of the Golden Toad, Chumbley Andrew

Todos os bruxos, ocultistas e filósofos devem comer do Fruto Proibido para alcançarem seus objetivos e, uma vez mordido, não há voltas. O Conhecimento é irresistível, libertador, edificador mas também traz grandes sofrimentos e temores. Este é o tema central desde o Mito de Adão e Eva até os Mitos de Prometeu e Pandora: o Sacrifício, a Liberdade, o Conhecimento e a Dor. Para Eva e Adão o sacrifício foi a perda da Inocência, no sentido de ignorância e não de pureza. A Liberdade e a perda da Inocência trazem a dor. Perceber que toda sua vida fora um mentira. Perceber que toda a sua vida não passou de uma tacanha atuação cujo roteiro não por você fora escrito. Poder escolher causa sofrimento. Viver nossas próprias vidas e tomar nossas próprias decisões traz inquietudes porque não há bodes expiatórios, não há forças exógenas que concorram com nosso arbítrio. Há apenas nós, nossas escolhas. Quando estamos amarrados nas celas da Ignorância é fácil ficarmos em paz com nossa consciência, pois podemos por toda as responsabilidades de nossa vida aos pés de outros: dos deuses, dos pais, dos filhos, dos vizinhos, dos governantes e etc. Uma vez mordido o Fruto Proibido, nossas ilusões se desvanecem. Pois o que é o Éden senão uma ilusão? Mas mesmo nesta Ilusão, nossa Alma clama para bebermos da fonte do Desconhecido, a Serpente se agita dentro de nós. Adão e Eva possuíam um corpo mas não estavam cientes de sua Beleza. Adão e Eva viviam juntos, mas não conheciam o poder do Amor. A Serpente os libertou de um cárcere onde eles viam o Sol mas não sentiam todo o seu calor. Viam a Lua mas não se embebedavam com toda sua poesia. Porque viver na ignorância é viver pela metade. É chorar mas não com todas as lágrimas, é rir mas não com todo o riso. Morder do Fruto Proibido é apenas para os fortes, os corajosos, aqueles que sabem que o Conhecimento será a Chave e o Açoite, que o fascínio da Luz será tão reluzente quanto o abismo das Trevas. Porque quanto mais longe estivermos da praia, mais profundo o oceano será. Quando mordemos o Fruto Proibido, percebemos que não estamos mais na Ilusão do Éden, mas na Beatitude da Ilha Sagrada. O Conhecimento tanto pode fazer-nos sentir tanto Senhores Grandiosos quanto Míseros Escravos destes Arcanos. O Conhecimento pode ser tanto uma Benção quanta uma Maldição. Porém nós, bruxos, destemidos e curiosos por natureza, não resistimos ao Vermelho Escarlate – do Sangue, da Vida e do Amor – que o Fruto Proibido porta. Nossa Benção e nossa Maldição.

0 comentários:

Postar um comentário